ACESSO RESTRITO

Notícias

Veterinários alertam para perigo de medicamentos humanos em animais

01

janeiro

Profissionais afirmam que prática pode levar à morte. Cães e gatos têm produtos próprios para tratamento de doenças.

Alguns donos de animais de estimação têm o hábito de dar remédio de humanos para cães e gatos. O problema, segundo os veterinários, é que essa prática é perigosa. A representante comercial Nathália Frateschi não é adepta deste tipo de medicação. Ela trata seus  dois cães com medicamentos para animais. "A Alice já teve problema de pele. Já o Theodoro tem sarna negra. Então, ele exige bastante cuidado médico. Ele tem xampu, vitamina, a ração dele é diferenciada.” 

Em casa, ela tem medicamentos e produtos recomendados por veterinários. Nada de remédios de humanos para os bichinhos. “Eles podem sobrecarregar o rim do animal e também porque é próprio para ser humano.”

Alguns veterinários defendem ainda que alguns remédios para os animais podem ser perigosos. Entre eles está o ácido acetil salicílico, que é tóxico para os gatos, e o paracetamol, que pode ser perigoso tanto para cães quanto para gatos.

O veterinário Pedro Rocha alerta para os perigos de anti-inflamatórios para os bichinhos. “Ele é perigoso porque algumas substâncias são incompatíveis e podem levar o animal a óbito.”

Rocha afirma que algumas medicações humanas até podem ser usadas nos animais, mas o perigo pode estar escondido na dosagem. “Alguns comprimidos têm revestimento para fisiologia do animal e impedem gastrite. O que a medicação humana talvez não faça. Por isso é preciso buscar orientação do veterinário e uma medicação para cada espécie de animal.”

A orientação é reforçada pelo veterinário Jefferson Renan de Araújo Leite. “Pode inclusive levar a morte. Não pode dar medicamento sem orientação do veterinário. Homeopatia para o animal é a mesma coisa. Precisa ter um tratamento indicado. Os gatos têm tolerância para alguns medicamentos de cães, por exemplo.”

Leite destaca ainda que alguns remédios não são tolerados por todas as raças de cães. Na opinião do veterinário, outra razão para evitar medicamento de humanos é que a indústria farmacêutica veterinária cresceu muito nos últimos anos. “Nós sempre usamos medicamentos de uso humano, mas a diferença é a dosagem. O tipo, a forma de aplicar é o veterinário quem deve determinar, avaliando o animal, a raça, etc.”

Ele chama a atenção para medicamentos em apresentação em sprays. “Eles não são apenas superficiais. Quando aplicados penetram no organismo e vão ter ação sistêmica. É bom lembrar que o animal vai lamber esse medicamento, o mesmo para pomadas.”

A armazenagem dos medicamentos para animais também deve ter o mesmo cuidado que para humanos. Leite recomenda observar a data de validade do produto, manter em local fresco, arejado e ao abrigo da luz. “Luz e sol em excesso alteram as características dos medicamentos.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2016/08/veterinarios-alertam-para-perigo-de-medicamentos-humanos-em-animais.html